No meu aperto vem a conquista

image_pdfimage_print

Texto: Êxodo 1:12-14 -Mas quanto mais os afligiam, tanto mais se multiplicavam, e tanto mais cresciam; de maneira que se enfadavam por causa dos filhos de Israel.13 – E os egípcios faziam servir os filhos de Israel com dureza; 14 – Assim que lhes fizeram amargar a vida com dura servidão, em barro e em tijolos, e com todo o trabalho no campo; com todo o seu serviço, em que os obrigavam com dureza.                                                   

Início:Deus escolheu através de um homem(Abraão) e lhe fez as promessa que da sua semente se tornariam o povo de Deus, lembrando que Deus não é imanente como o homem, apesar de desse homem quere que Deus seja assim. Imanência: relaciona-se às religiões panteístas, como as religiões africanas e o hinduísmo. Aqui, a concepção da ideia de Deus não se separa da matéria, sendo parte integrante e indissociável dela. Deus está em tudo, permeia tudo e não é uma entidade criadora, mas, sim, organizadora. Na Filosofia, o pensador holandês Baruch de Spinoza propôs uma ideia de Deus imanente e panteísta, resumida na máxima: Deus sive natura (“Deus, ou seja, a natureza”). Deus seria uma substância presente em tudo e que participa de tudo.

Transcendência: a tradição judaico-cristã e islâmica está baseada na noção de um Deus transcendente, ou seja, uma entidade primeira e separada da matéria que foi responsável por criar a matéria. Para o cristianismo, porém, a figura de Jesus Cristo é a personificação imanente do Deus transcendente.

O livro do Êxodo, narra-nos a saída do povo de Israel da terra do Egipto, onde estava há mais de 400 anos, primeiro com ostentação e bençãos, em virtude da ida de José Para o Egito, primeiro como escravo e depois como governante, depois de interpretar o sonho de Faraó(sete vacas gordas e sete vacas magras), estando abaixo apenas de Faraó e, depois, como escravo, sendo obrigado a desempenhar as tarefas mais árduas.

         Os egípcios estavam atemorizados com o povo de Deus e então os afligiam, com trabalhos forçados, sendo que até as suas mulheres foram constrangidas a permitirem que as parteiras egípcias matassem seus filhos varões, para que nunca pudesse ter forças para se revoltar. Mas mesmo diante dessas dificuldades, o povo continuava a crescer e se multiplicar a cada dia.

           Então não é o duro trabalho, não são os problemas, não são os inimigos que se levantam contra a tua vida, que vai te impedir de continuar crescendo e multiplicando meu amado. No entanto, aquele era o povo de Deus e a mão do Senhor estava sobre ele, dando-lhe ânimo, força e sabedoria para, mesmo dentro das limitações e grandes aflições, pudesse crescer. “Quanto mais os afligiam, mais eles se multiplicavam”.

          Este é o Deus que nós servimos, este é o Deus da nossa salvação(Sl. 46:1 DEUS é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na angústia). Aquele que é o mesmo ontem, hoje e será eternamente. Com o Todo Poderoso é sempre assim — ninguém poderá ir contra a Sua vontade. Foi assim com os judeus, foi assim com os cristãos primitivos, será assim com o povo de Deus até à consumação dos séculos! “Ele te cobrirá com a Sua sombra, te livrará do laço do passarinheiro e da peste perniciosa; não temerás espanto noturno, nem seta que voe de dia; mil cairão ao teu lado e dez mil à tua direita, mas tu não serás atingido…” (Sl. 91:1-7).

         Quando houve um decreto maligno e de morte na terra do Egito, contra os meninos que nasciam nas famílias hebréias, Deus levantou parteiras hebréias Sifrá e Puá, que decidiram servir a Deus incondicionalmente e não deram ouvidos a ordem de Faraó, mas decidiram servir ao Deus verdadeiro e pouparam as vidas dos meninos que nasciam na terra do Egito, mesmo correndo risco de vida.

          Assim também Deus irá a teu favor e providenciará o milagre e a tua geração e a tua descendência crescerá e se multiplicará sobremaneira sobre a terra e ninguém poderá te deter, porque aprouve ao Senhor teu Deus levantar o seu braço forte a teu favor e tu serás uma benção. A benção de Abraão está está em sua vida(Gn.26:4 Multiplicarei a tua descendência como as estrelas dos céus e lhe darei todas estas terras. Na tua descendência serão abençoadas todas as nações da terra).

       Os hebreus tinham uma missão para cumprir. Nenhum homem, nem todas as potestades do mundo, nem as hostes infernais da maldade poderiam impedir o cumprimento dessa missão redentora. Assim é também com o povo de Deus em nossos dias. Jesus  está conosco todos os dias até à consumação dos séculos. E qual é a nossa missão? Marcos 16:15-18“E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura. 16 – Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado.17 – E estes sinais seguirão aos que crerem: Em meu nome expulsarão os demônios; falarão novas línguas;18 – Pegarão nas serpentes; e, se beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum; e porão as mãos sobre os enfermos, e os curarão.

         As aflições, como a fome, a nudez, a perseguição, traição ou pressões do mundo, não nos impedirão de pregar o Evangelho e de falar do que temos visto, ouvido e experimentado de Cristo e em Cristo (Rm. 8:33-37 – “Como está escrito: Por amor de ti somos entregues à morte todo o dia; Somos reputados como ovelhas para o matadouro.37 – Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou.38 – Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as potestades, nem o presente, nem o porvir,39 – Nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor”.At. 5:27-30 –“E, trazendo-os, os apresentaram ao conselho. E o sumo sacerdote os interrogou,28 – Dizendo: Não vos admoestamos nós expressamente que não ensinásseis nesse nome? E eis que enchestes Jerusalém dessa vossa doutrina, e quereis lançar sobre nós o sangue desse homem.29 – Porém, respondendo Pedro e os apóstolos, disseram: Mais importa obedecer a Deus do que aos homens.30 – O Deus de nossos pais ressuscitou a Jesus, ao qual vós matastes, suspendendo-o no madeiro”.

Conclusão: Esta é a confiança que temos, é uma convicção que ninguém pode tirar de dentro de nós, então podemos ter a certeza de que somos filhos do Pai do Céu,  que ninguém porá sua mão sobre nós sem seu consentimento e que tudo o que Ele permite é para nosso bem e Sua glória. “Não temas, porque Eu te remi, chamei-te pelo teu nome. Tu és meu!” (Is. 43:12). Amém

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *